• Da Redação

Ação da Polícia Federal investiga contrato emergencial na Prefeitura de Ilhabela

Um equipe da Polícia Federal esteve cumprindo uma ocorrência na manhã desta segunda-feira, 15 de Junho, na Prefeitura de Ilhabela e píeres públicos da cidade.


A operação foi noticiada pelo jornal Tribuna do Povo, que teve acesso ao objeto da investigação através de contato com agentes. Em um vídeo ao vivo, o jornalista Caio Gomes relatou um pouco da ação, que durou cerca de uma hora.


"Acabamos de ter a confirmação do teor da ocorrência. Trata-se mesmo de um procedimento investigativo, em relação ao contrato, feito sem licitação, em base no decreto do covid-19, sobre a contratação de uma empresa de segurança armada na cidade" afirmou o jornalista.


Segurança armada

A Prefeitura de Ilhabela, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turístico, teria contratado uma empresa de segurança, no valor de R$108 mil, sem licitação, com o objetivo de intensificar a segurança em locais públicos - como píeres, acesso à balsa e outros - fortalecendo também a restrição de turistas e moradores na cidade que não tenham autorização de entrada à balsa e estariam acessando a cidade através de barcos e "viagens clandestinas".


Essa medida, compartilhada pelas redes sociais durante o fim de semana, foi alvo de protestos e questionamentos sobre a sua legalidade, visto que a segurança armada, em locais públicos, é de responsabilidade das polícias do Estado.


Em razão deste contrato, a Prefeitura de Ilhabela foi comparada a um "Estado Autoritário e Ditatorial", pelo emprego de forças armadas para impedir o direito constitucional dos moradores na cidade.


Em breve divulgaremos mais informações.

©2020 por Portal Conexão Ilhabela.